Advogada por formação e empresária/blogueira de moda por vocação, ou talvez por intuição. Lembro-me de na infância já programar com antecedência o que vestir, “birra” e muita ousadia segundo minha mãe. Com formação na Universidade Federal de Alagoas e OAB em mãos fui à labuta, permaneci por dois anos entre corredores de fóruns, petições e etc. Sempre tive um senso de justiça, bem como amor por tudo que me levasse a leituras e escritas. Daí para unir moda e tudo...

  • 22
    abr

    Fashion Revolution


    imageJá tinha adiantado no Snap um pouco sobre esse movimento. Uma resposta ao trabalho escravo nas grandes ou pequenas confecções e uma verdadeira revolução contra as condições subumanas  no fabrico de roupas.

    O movimento surgiu em 2014, de inciativa das designers  Carry Somers e Orsola de Castro, ativistas que resolveram reagir contra o fatídico ocorrido em 2013 em Bangladesh, local no qual inúmeras fábricas abusavam dos operários e que levou a morte de cerca de 1.333 pessoas e mais de 2.500 feridos.

     

    O slogan “Você sabe quem faz suas roupas?” leva, além da reação ao ocorrido, a uma indagação? Você quer uma cadeia produtiva que não valoriza os profissionais que fazem suas peças? Assim como nos fazer pensar sobre uma produtividade sustentável, com condições dignas de trabalho e um mercado transparente e humano.

     

    Esse ano, sob iniciativa da designer Manu Mortari, embaixadora em Alagoas da ação, frisando – pela primeira vez – cerca de 70 pessoas se reuniram para difundir a causa e mostrar que moda é coisa séria, tem o lado social e não se resume a futilidades diárias. Isso me representa.

     

    Assim, começamos o engajamento e dia 24 próximo, além das imagens e frases que estamos postando nas redes sociais, iremos juntos, postar imagend como forma de conscientizar todos sobre o assunto em questão!

     

    Contamos com vocês que se interessam a conhecer mais de perto a movimentação, na verdade convocamos-os a nos ajudar num ato tão nobre, tirando uma foto nas respectivas mídias com uma peça ao avesso e utilizando hashtags como #whomademyclothes #quemfazsuaroupa #fashrev #fashrevmaceio

     

    O site oficial para maiores esclarecimentos é o fashrevolution.org/brasil . Não consegui transformar no link, mas é só colocar no Google e conhecer.

     

    Vamos juntos conscientizar empresários de moda, produtores, estudantes da área, formadores de opinião e jornalistas, atentado-os para a causa. Afinal, você que ver uma criança sendo escravizada para ter uma peça barata? ( palavras de Manu) !

    Para acompanhar também confiram o perfil no Instagram da ação: @fash_rev_brasil

    Olha o que tá rolando pelo país e mundo afora:

     

    image

     

    image

    image

    image

    image

     

     

    Vamos disseminar!

     

     

     

     

     


     


    Tags: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos so direitos reservados © 2017 Gilson Paulino